sábado, maio 07, 2011

 ÀS MÃES, COM CARINHO

  Devo confessar: amei e continuo amando duas mulheres. O amor inato, incondicional, de entrega total. Mulheres que fizeram com que eu aprendesse as mais lindas lições na vida. Mulheres que me ensinaram e, melhor, exemplificaram. Duas Helenas. Uma me deu à luz, a outra ajudou a me criar. Sei que não sou o único, mas entendo ser um privilegiado por ter tido duas mães.
   Explico. Como minha mãe sempre trabalhou, ela nos deixava - a mim e a meu irmão - aos cuidados de minha avó (por sinal, mãe dela). Era essa "mãe" que nos levava à escola, às aulas de música, ao cinema, às rádios, aos desfiles e bailes de carnaval e até aos jogos do Santos na Vila Belmiro! Meu pai e minha mãe chegavam  em casa ao final da tarde. Ela cuidava dos afazeres domésticos, nos repreendia - quando necessário, planejava o dia seguinte e dava o exemplo de vontade aliada ao trabalho.
   De minha avó Helena, ficou mais do que um exemplo de vida, mostrou que o amor não tem limites; de minha mãe Helena, a herança de que a felicidade não está nos bens materiais e sim em uma vida vivida com honestidade, trabalho e dignidade, por sinal, o mesmo legado deixado por meu pai. São lembranças guardadas eternamente no mesmo lugar onde o amor está, no coração.
  Por falar em recordações nesta data, lembro que em uma das paredes da sala, havia um quadrinho, presente de meu tio à minha avó (mãe dele), com dizeres muito simples, singelos: "Mãe sempre querida, seja feliz na Vida". Da mesma forma, simples, singela e sincera, registro meus cumprimentos a todas as mães, com o desejo de felicidades, sempre.

Registro.
A comemoração dos dias das mães remonta à Mitologia. Na Grécia antiga, a entrada da primavera era festejada em honra de Rhea, a Mãe dos Deuses. No início do século XVII, a Inglaterra começou a dedicar o quarto domingo da Quaresma às mães das operárias inglesas.
Ana Jarvis, uma americana do estado da Virgínia ocidental, iniciou a companha para instituir o Dia das Mães. Em 1914, o presidente norte-americano Woodrow Wilson unificou a celebração, sempre no segundo domingo de maio. Em Portugal e Espanha é comemorado no primeiro domingo.
No Brasil, o Dia das Mães foi oficializado pelo presidente Getúlio Vargas em 1932.

2 comentários:

  1. Saudade é homenagem eterna. Abraço,
    FG

    ResponderExcluir
  2. Que lindo, amigo Dedé. É um privilégio termos tido a grande benção de termos excelentes mães, o que resulta em excelentes lições de vida. Me incluo nesse presente divino, minha mãe é minha força, meu exemplo, um exemplo de como ser humano¨, no melhor sentido. Numa época de tantos maus exemplos de mães e de filhos, obrigada meu Deus por minha mãe, obrigada minha mãe por tudo. Bjs, Paula Kiss.

    ResponderExcluir