NA TELA DO BLOG 2

"Quando a lenda for mais importante que a realidade, imprima-se a lenda". Esta famosa frase do personagem de Carleton Young (1905/1994), o jornalista Maxwell Scott, em "The Man Who Shot Liberty Valance/O Homem que Matou o Facínora", tornou-se o símbolo da filmografia do diretor John Ford, o mestre do faroeste. Esta obra-prima do irlandês Ford, seu último grande western, produzido em 62, foi indicada ao Oscar de melhor figurino em preto e branco e apresentava um elenco com ícones da telona em desempenhos magníficos: John Wayne (1907/1979), considerado por muitos como o alter-ego de John Ford; James Stewart (1908/1997), Lee Marvin (1924/1987), Edmond O'Brien (1915/1985), Vera Miles, Andy Devine (1905/1977), Woody Strode (1914/1994) e Lee Van Cleef (1925/1989). Uma verdadeira obra de arte do cinema. Inesquecível. 

Um dos maiores sucessos do cinema nos anos 1960, teve direção do premiado Billy Wilder e um elenco de astros : Jack Lemmon, Shirley McLaine, Fred MacMurray e Ray Walston.  Levou 5 Oscars: melhor filme, melhor diretor, direção de arte, melhor edição, melhor roteiro original e mais 5 indicações, entre elas melhor ator, Jack Lemmon, e melhor atriz, Shirley MacLaine, prêmio que ela ganhou no Festival de Veneza. '"Se Meu Apartamento Falasse/ The Apartment". A história de um funcionário que, para ser promovido, "emprestava" seu apartamento para encontros amorosos dos executivos da empresa.
O tema musical fez muito sucesso, mas não era original deste filme, tinha por título "Jealous Lover" composto por Charles Williams para "Romantic Age", uma produção de 1949. Aqui está "Theme from The Apartment" com Ferrante e Teicher.
 
Quem viu, certamente, não esquece. O filme sobre a amizade entre um poeta e um carteiro. O poeta, o chileno Pablo Neruda, em mais uma interpretação marcante do francês Phillipe Noiret (1930/2006) e o carteiro Mário, vivido por Massimo Troisi, também roteirista (1953/1994). Neruda passa a ter um confidente e Mário, aprendendo a escrever e expressar seus sentimentos por Beatrice (Maria Grazia Cucinotta). Um poema na tela, dirigido pelo indiano/britânico Michael Radford. "O Carteiro e o Poeta", produção italiana realizada em 94 e, entre tantos prêmios, indicada ao Oscar de melhor ator (Massimo Troisi), melhor diretor, melhor filme e melhor roteiro adaptado, sendo contemplado com a estatueta para a melhor trilha sonora original, composta por Luis Enríquez Bacalov. Lembrança também, mas com tristeza, da morte de Massimo Troisi, logo após o término das filmagens, vítima de ataque cardíaco.
A composição é de Jerome Kern e Otto Harbach, gravada por inúmeros intérpretes, como Billie Hollyday, Benny Goodman, Judy Garland, mas com The Platters, tem a sua mais conhecida versão. Desde "Roberta", um musical de 1935 (!), foi ouvida em muitos filmes, como "American Graffitti/Loucuras de Verão", "Always/Além da Eternidade", "Adorável Júlia", "As lágrimas amargas de Petra Von Kant" e "Meu querido intruso". Esta é uma verdadeira música do cinema: "Smoke gets in your eyes", The Platters.
Musical na Broadway e levado à telona, "Mamma Mia!", baseado nas composições do grupo sueco ABBA e escrito por Benny Andersson e Bjorn Ulvaeus (integrantes do grupo), transformou-se em sucesso mundial. No  elenco, onde se destacava Meril Streep, as presenças de Pierce Brosnan, Colin Firth, Amanda Seyfried e Christine Baransky. Recebeu duas indicações ao Globo de Ouro: melhor filme comédia musical e melhor atriz, também em comédia musical, Meryl Streep. Veja o trailer.
A trilogia "Piratas do Caribe", com "A Maldição da Pérola Negra, O Baú da Morte  e No Fim do Mundo", é bilheteria garantida em todo o mundo, graças à dose certa de aventura, comédia, fantasia e, sem dúvida, ao trabalho do protagonista Johnny Depp, vivendo o tresloucado pirata Jack Sparrow, e secundado magistralmente por Orlando Bloom, Geoffrey Rush, Jonathan Pryce e Keira Knightley. O quarto filme da série, "Navegando em Águas Misteriosas" seguiu a maré de sucesso. O tema musical complementa  com brilho esta saga.
Maravilhosa obra de Fellini, "La Strada" ou "A Estrada da Vida", produção italiana de 1954, conta a história da delicada Gelsomina (Giulietta Masina) vendida pela mãe para um saltimbanco, o brutamontes Zampanó, interpretado por Anthony Quinn. Uma verdadeira poesia na tela, marca registrada de Federico Fellini, ele que, à época do filme, já era casado com Giulietta Masina. Oscar de melhor filme estrangeiro e indicado como melhor roteiro original, também recebeu o Grande Prêmio Internacional em Veneza.  Fellini, em 93, mesmo ano de sua morte, recebeu da Academia um Oscar honorário em reconhecimento à toda sua magistral obra cinematográfica. Giulietta Masina também faleceu em 93, exatos seis meses da morte de Federico. A trilha musical, composta pelo maestro Nino Rota, tornou-se a moldura ideal desta obra prima.
Premiado com o Oscar de melhor figurino (preto e branco) e com mais cinco indicações, incluíndo melhor diretor (Billy Wilder) e melhor ator (Jack Lemmon), é considerado uma das melhores comédias de todos os tempos, "Some Like Hot" / "Quanto mais quente melhor". Lançado em 1959, nunca perde a atualidade, graças às interpretações primorosas de Tony Curtis, Jack Lemmon e -acreditem- Marilyn Monroe. No elenco, ainda tínhamos George Raft, Pat O'Brien e Joe E. Brown, o famoso comediante "Boca Larga". A trilha sonora, espetacular, foi indicada ao Grammy. O próprio Billy Wilder considera esta sua obra-prima. Conferindo o trailer.
   
Fotografia belíssima, trilha musical envolvente, tema intrigante e polêmico (plano material e espiritual), fizeram de "What dreams may come" ou "Amor além da Vida", produção americana de 1998, um filme comentado, discutido e elogiado pelo público e grande parte da crítica. No elenco, Robin Williams, Cuba Gooding Jr., Annabella Sciorra e Max Von Sidow, dirigidos por Vincent Ward. Oscar de efeitos visuais e indicado por melhor direção de arte.
Um dos melhores do genial Woody Allen, "Hannah e suas Irmãs", produção de 1986 , escrito e dirigido por ele, mostrou todo o talento desse novaiorquino do Brooklyn. Os diálogos impecáveis, o humor refinado, a direção segura, fizeram deste um dos melhores filmes dos anos 80. Com um elenco onde estavam Michael Caine, Mia Farrow, Carrie Fisher, Dianne Wiest, Barbara Hershey, Lloyd Nolan (seu último filme), Max Von Sidow, Maureen O'Sullivan(1911/1998-mãe de Mia Farrow) e o próprio Woody, só poderia ser cultuado até hoje. Com 4 indicações ao Oscar, levou a estatueta nas categorias: melhor ator coadjuvante (Michael Caine), melhor atriz coadjuvante (Dianne Wiest) e melhor roteiro (Woody Allen). A trilha sonora, "hors concours", desfilava com obras de Puccini, Rodgers and Hart, Bach, Styne e Cahn, Benny Carter, Count Basie, Johnny Mercer, Cole Porter, Jerome Kern, Dorothy Fields, Jimmy Van Heusen e o som da orquestra de  Harry James. Inesquecível.
 
Uma superprodução dos estúdios Disney, em desenho animado, lotou os cinemas a partir de 99 com a história baseada no livro de Edgar Rice Burroughs. "Tarzan" tornou-se um clássico no gênero. Vozes, no original, de Tony Goldwyn, Minnie Driver e Glenn Close e na versão brasileira, de Eduardo Moscovis, Marcus Jr., Suely Franco, José Santa Cruz, entre outros. A excelente trilha musical contribuiu para isso e foi premiada com o Grammy. De quebra, o Oscar, o Globo de Ouro e a indicação ao Grammy para a melhor canção original: composição de Phil Collins, "You'll be in My Heart"
 
No roteiro, escrito por Lawrence Kasdan sobre história de George Lucas e Philip Kaufman e ambientado em 1936, o arqueólogo e professor americano Indiana Jones (Harrison Ford), é um destemido aventureiro que cruza o mundo à procura de tesouros arqueológicos. No Tibet, inicia a busca da Arca onde Moisés teria escondido as Tábuas dos Dez Mandamentos. Dirigido por Steven Spielberg foi premiado com 4 Oscars: melhor direção de arte, edição, efeitos visuais e som."Indiana Jones e os Caçadores da Arca Perdida". Também no elenco, Karen Allen, Paul Freeman e Ronald Lacey (1935/1991). Música de John Williams.
  
Em 1957, Charle Vidor (1900/1959) dirigiu a produção "The Joker is Wild/Chorei por Você", um grande sucesso de Frank Sinatra (1915/1998) no cinema. Fotografia em preto e branco, tendo um elenco de estrelas como Mitzi Gaynor (1931), Jeanne Crain (1925/2003), além de Eddie Albert (1906/2005) e Jackie Coogan (1914/1984). Sinatra interpretou Joe E. Lewis, um famoso entertainer e seus muitos casos de amor. A música, composta por Jimmy Van Heusen e Sammy Cahn, foi premiada com o Oscar de melhor canção original: "All the Way".



Nenhum comentário:

Postar um comentário