NA TELA DO BLOG 3




O ano, 1936; o filme, "Tempos Modernos" (o último sem falas mas sonoro), dirigido e escrito pelo genial Charles Chaplin (1889/1970). No elenco, destaque para Paulette Goddard (1910/1990), que foi casada com ele. Naquela época, Chaplin já mostrava no roteiro, através do maravilhoso personagem Carlitos, a dificuldade para sobreviver em um mundo moderno e industrializado. Ator, diretor, escritor, dançarino, músico, Charles Chaplin é considerado o mais laureado dos cineastas: comenda de Cavaleiro do Império Britânico, Legião de Honra, da França, Doutor Honoris Causa pela Universidade de Oxford e Oscar especial pelo conjunto da obra, conferido tardiamente pela Academia, em 1972. "Tempos Modernos" tinha como tema "Modern Times" composta por ele e que se tornou a belíssima "Smile", com a letra inserida em 1952 por John Turner e Geoffrey Parsons. Um trailer, a voz de Nat "King" Cole e nada mais precisa ser dito.

Sétimo filme da série, “Diamonds are Forever/Os Diamantes são Eternos”, de 1971, foi o último com Sean Connery antes de sua volta em 1983 com “007-Nunca mais outra Vez”. Guy Hamilton dirigiu o elenco que tinha, além de Connery, Jill St. John, Charles Gray e Bernard Lee. Foi indicado ao Oscar na categoria de melhor som. O tema principal composto por John Barry e Don Black é lembrado até hoje. Shirley Bassey, “Diamonds are Forever”. 


Dirigido pelo alemão Percy Adlon, o premiadíssimo "Bagdad Café" (1987) tornou-se referência entre a crítica e público, com atuações impecáveis de Marianne Sagebrecht, CCH Pounder, Christine Kaufaman (que foi casada com Tony Curtis) e Jack Palance. Conta a história da chegada de Jasmim (Marianne) ao Bagdad Café - bar e motel- no deserto de Mojave e a transformação que ela provoca na vida de todos os envolvidos na trama, concluindo que cada um pode ser feliz à sua maneira. Inesquecíveis, o filme e a trilha sonora, esta indicada ao Oscar de melhor canção original "Calling You". 


Ação e comédia em dose perfeita no westrn "Butch Cassidy", dirigido por George Roy Hill, em 1969. Trazia um ícone das telas, Paul Newman (1925/2008) ao lado de Robert Redford  - mais tarde fizeram  "Golpe de Mestre", do mesmo diretor e ganhador do Oscar em 1973 - e Katherine Ross. Vivendo dois assaltantes de bancos e trens no oeste americano, passam por inúmeras aventuras até fugirem para a Bolívia! Sucesso nas telas, foi indicado em três categorias e premiado pela Academia com o Oscar de melhor roteiro original, melhor fotografia, melhor trilha sonora (Burt Bacharach). Nesta categoria também com o Globo de Ouro e o Grammy, além de melhor canção original, "Raindrops keep fallin'g on my head", interpretada  por B. J. Thomas.



"Ferris Bueller", você já ouviu falar dele. Um nome que se tornou símbolo de liberdade para os jovens, vivido por Matthew Broderick em "Curtindo a vida adoidado". Ao lado da namorada (Mia Sara) e do amigo (Alan Ruck), ele apronta as maiores confusões em um dia inesquecível. Produção de 1986, tornou-se cult entre os fãs do cinema. Trilha sonora de primeira, elenco correto sob a direção de John Hughes. Matthew foi indicado ao Globo de Ouro como melhor ator em comédia-musical. O final, ao som dos Beatles, é marca registrada de alegria e descontração. 


"Days of wine and roses/Vício maldito", trouxe uma das maiores interpretações de Jack Lemmon e Lee Remick, tanto que os dois foram indicados ao Oscar. Um produção de 1962, polêmica para a época, mostrando a vida de um casal alcoólatra. Direção, também impecável, de Blake Edwards e com mais duas indicações à estatueta: melhor figurino em preto e branco e melhor direção de arte. Crítica e público consagraram como um dos grandes sucessos do cinema. Lemmon, aos 76 anos e Lee Remick, aos 56 anos, morreram vitimados pelo câncer. O tema musical composto por Henry Mancini e Johnny Mercer tornou-se inesquecível e levou o Oscar de melhor canção.


Considerado um dos melhores westerns produzidos por Hollywood,"The Big Country/Da Terra Nascem os Homens" (1958), narrava a história de um capitão de marinha que vai ao Texas para se casar com a filha de um rico fazendeiro. No elenco de astros da época, Gregory Peck, Jean Simmons, Carrol Baker, Charlton Heston, Charles Bickford e Burl Ives, que levou o Oscar de melhor ator coadjuvante, dirigidos pelo não menos competente, William Wyler. A trilha sonora, indicada ao Oscar, foi composta por Jerome Moross. 

Um marco na animação em geral, "O Rei Leão", com uma história levemente inspirada em Shakespeare, é considerado um dos melhores entre os clássicos dos estúdios Disney. Lançado em 94, tinha as vozes originais de Matthew Broderick, Whoopy Goldberg, Rowan Atkinson, Jeremy Irons e James Earl Jones e no Brasil, dublado entre outros, por Garcia Jr., Jorge Ramos, Patrick de Oliveira, Bruno Miguel e Carla Pompillo. Premiado com o Globo de Ouro de melhor comédia/musical, melhor trilha e melhor cancão original, também levou o Oscar nessas duas categorias por "Can You Feel The Love Tonight", composição de Elton John e Tim Rice.

Entre as obras do mestre do suspense, Alfred Hitchcock, esta realizada em 1954, é uma das melhores: "Dial M for Murder/Disque M para Matar". À época, um elenco classe A: Ray Milland, Grace Kelly (em seu primeiro filme dirigido por Hitch), Robert Cummings, John Williams e Anthony Dawson. No roteiro, a trama de um marido para matar a esposa por vingança da traição e ficar com a herança, mas nem tudo acontece conforme o planejado. Grace Kelly foi premiada como melhor atriz pelos críticos de Nova Iorque.


Diversão garantida num dos maiores espetáculos do cinema. Baseado no livro de Julio Verne, "Around the world in 80 days/A Volta do Mundo em 80 dias", dirigido por Michael Anderson, tinha um elenco estelar para a época: David Niven, Cantinflas, Shirley McLaine e astros convidados em participações especiais, Frank Sinatra, Charles Boyer, Peter Lorre, Joe E. Brown, Ava Gardner,  Buster Keaton e vários outros. Recebeu 5 Oscars: filme, roteiro, montagem, fotografia, melhor trilha. Um sucesso inesquecível nas telas, assim como a música composta por Victor Young, "Around the World in 80 days".


O cinema nos trouxe , em 1994, um dos seus maiores êxitos de bilheteria. Premiado com seis Oscars (filme, diretor, ator, roteiro adaptado, efeitos especiais e montagem) além de sete indicações e mais três Globos de Ouro. "Forrest Gump", uma das melhores interpretações de Tom Hanks,  premiado com o Oscar e Globo de Ouro. Com ele, estavam Robin Wright (indicada ao Oscar como atriz coadjuvante), Gary Sinise, Sally Field e Haley Joel Osment (à época com cinco anos e que, anos depois, foi indicado ao Oscar por "O Sexto Sentido). Foi dirigido por Robert Zemicks e com uma trilha só de sucessos.


Nos idos de 1978, filmes e músicas com John Travolta e Olivia Newton-John eram sinônimo de sucesso. O que dizer então de um musical com os dois? "Grease/Nos Tempos da Brilhantina" está aí até hoje para provar. Ainda no elenco, com direção de Randal Kleiser, Stockard Channing e Jeff Conaway. A trilha sonora embalava tudo que os jovens faziam. "Grease", "Summer nights","Sandy" "You're the One that I Love" e "Hoppeslessly devoted to you", esta indicada ao Oscar de melhor canção original.


Nenhum comentário:

Postar um comentário